Total de visualizações de página

domingo, 10 de junho de 2012

MÃES E PAIS QUE MALTRATAM SEUS FILHOS!


          Tenho presenciado constantemente, cenas de violências, contra crianças e adolescentes.
          E estas cenas de violências, quase sempre, praticadas pelos próprios pais destas crianças.
          Geralmente, são pais jovens, despreparados para a maternidade.  Se juntam, se casam, "ficam" de forma irresponsável; uma vez que, "transar", praticar ato sexual; obrigatoriamente ou necessariamente não tem ou precisa engravidar. A gravidez tem que ser de forma organizada. Com o consentimento do parceiro, do esposo, do mariado ou do ficante.

           A responsabilidade pela gravidez é do casal.  A mulher deve se prevenir, comparecer periodicamente ao médico, manter seus exames atualizados.  A critério médico, tomar anteconcepitivo, desde que não comprometa sua saúde e evitar a gravidez de forma indesejada, despreparada. 

           Gravidez, ter um bebê é coisa séria. Ninguém pode engravidar de qualquer pessoa. Sem o consentimento desta.  E muitas vezes, quando acontece a gravidez, sem o consentimento,sem preparação para tal; de forma irresponsável. O pai desaparece e a mãe, tem que alimentar, educar, criar,... O filho sozinha. Sem o auxilio financeiro do pai, sem o amor, sem o carinho, sem o afeto deste, para com o seu filho.

           Quantas vezes estas mães, praticam o aborto de forma criminosa? Assassina!
           Quantas vezes estas mães, jogam fora os seus filho?  Nos lixões. Nas matas, ...
           Quantas vezes, estes filhos já grandinhos, com dois, três anos, são abandonados, assassinados?

            Fazer sexo, praticar ato sexual; não quer dizer engravidar. Gravidez é "coisa" séria. É para quem já viveu sua vida de "farra" e "folia"; e agora quer constituir uma família organizada, com muito amor, responsabilidade, carinho e equílibrio.

            Quando eu vejo uma mãe, em um dia de feriado ou domingo, arrastando três, quatro filhos, uma bolsa do tamanho do mundo, com os pertences da garotada. Já imagino que ela está indo para a casa da mãe.  Passar aquele dia com a genitora. Pergunto a mim mesmo.  Mas, cadê o Pai? Por que o Pai não está participando com a mulher e os filhos?  Algumas vezes a mulher é largada pelo marido, pelo esposo, pelo companheiro ou ficante, nos feriados e domingos. Ele vai ter com seus amigos e ela vai para a casa dos seus pais.  E no final do dia, quando se encontram; muitas vezes ele "cheio" de cachaça, em desequílibrio emocional, o casal briga e sobra para os filhos. Eles desabafam maltratando os seus filhos.  Pode?  Esta atitude está correta?  Isto é crime na forma da lei. Isto é maustratos. As pessoas devem denunciar estes fatos ao Conselho Tutelar mais próximo de onde morem, residam, estas pessoas.

          Quantas vezes. Aliás sempre. Nas estações de metrô, aos domingos feriados; no final da tarde; fico observando vários casais retornando para os seus lares, depois de uma farra, acompanhadas das suas crianças. E retornam bebadas, mautratando seus filhos. Batendo, puxando, dizendo impropérios, palavrões, ameaçando bater nestas crianças, ...  Só Deus pode socorrer estas crianças, estes anjos sofredores. Filhos de pais irreponsáveis que, os gerou sem a mínima condição educacional, para lhes dar uma vida de equílibrio, de paz e de muito amor! Estas crianças sofrem muito e crescem envolvidas por um ambiente em desequilibrio.

         Quantas mães, perambulam na Justiça, em busca de receber uma pensão alimentícia. Porque engravidou contra a vontade do parceiro?
         Quantas mães, perambulam na Justiça, em busca de ter o reconhecimento do pai do seu filho; através de uma Ação de Investigação de Paternidade?  As vezes, mantiveram contato com o pai do seu filho, uma única vez.  Na cama, fazendo sexo.  As vezes, se quer sabe o nome completo do pressuposto, pai do seu filho.  Pode?  É muita irresponsabilidade.  Ter filho, é algo sublime. É colaborar com a evolução da humanidade, com as Leis Divinas.

          Você já observou pessoas que não conseguem engravidar?  Pois é, éxistem milhares de mulheres que não conseguem engravidar.  É provável que tenham sido mães que, não cuidaram dos seus filhos, em vidas passadas. Abusaram da maternidade. Abortaram. doaram seus filhos. Abandonaram seus filhos, ... Tudo isto é provável. Não estou afirmando. Hoje, querem ser mãe e não conseguem. Terão que se quitar com as Leis Divinas.  E a melhor maneira é adotar crianças. Auxiliar nas creches, nos orfanatos. Quer de forma financeira ou com sua mão de obra.  Com seu amor, com seu carinho, para com estas crianças.

         Preocupo-me muito com estas crianças.  Gostaria muito que as pessoas, auxiliassem estas crianças, estes pais despreparados. Interferindo, através de uma ajuda, material, educacional, moral, ... Uma conversa amiga, sadia, orientando, educando; uma vez que, quase sempre trata-se de casais, jovens, na flor da idade. Necessitam de auxilio. Não estão preparados para a maternidade, para terem filhos.

         Certa vez, vi um casal atravessando uma avenida. Estavam com dois ou três filhos. Não me lembro bem.  Era um casal jovem, com mais ou menos uns vinte e dois anos. Eles atravessaram a avenida e esqueceram uma menina de aproximadamente uns cinco anos de idade, do outro lado da avenida. Segurei a menina e auxiliei-a a atravessar a avenida. Chamei a atenção do casal. O rapaz não gostou e disse-me alguns impropérios.  Pode?   É preciso ter paciência e equílibrio, para não agredir e não ser agredido por estas pessoas.

         Morei próximo a uma creche. Durante este período. Pela manhã logo cedinho. Ficava na varanda no primeiro andar, orando. Pedindo a Deus por aquelas crianças que estavam sendo levadas por seus pais, por vizinhos, pelos avós, ... A força para a creche. Elas choravam, choravam, não queriam ír para a creche. Elas queriam mesmo era ficar com seus pais, com seus avós, seus familiares. Aquelas pessoas não conversavam com elas, com carinho, explicando a necessidade delas irem para a creche. Simplesmente as arrastavam com grossura, com violência, ... Apressadamente.

        Tenho muito assunto, sobre este tema. Mas, quero deixar e deixo, o meu amor, o meu respeito; por estas crianças que são maustratadas por seus pais, padrasto, avós, ... No dia em que eu tiver uma condição financeira, as adotarei, juridicamente falando.  Eu adoro criança. Tenho seis filhos e cinco netos. Perguntaram a minha esposa se ela queria adotar uma criança. Ela ligou para mim e questionou o fato. Falei: Onde está o bebê. Ela respondeu: Está aqui na casa de uma vizinha. Lhe falei: Deixa ele aí, quando eu chegar eu resolvo.  Quando cheguei em casa e olhei no bebê. Reconhecí que ele era meu filho. Pouco tempo depois, a espiritualidade confirmou que, aquele bebê era meu filho por afinidade. De outras vidas.  De vidas passadas.  Era a oportunidade de fazer o melhor por ele; coisa que talvez, não tenha feito em outras vidas. A parentela espiritual, se dá pela afinidade e não pela consanguinidade

        Hoje tenho sete filhos e cinco netos.

        Por favor, quem puder. Adote uma criança. Ajude o planeta a evoluir. A evolução do planeta está em nossas em mãos. Auxiliando as pessoas a terem uma qualidade de vida melhor, quer material, quer cultural e moral.  Que Deus abençoe todas as crianças do planeta.  Especialmente as mais necessitadas, as que neste instante estão sendo abandonadas, assassinadas,... Que Deus as ampare. Hoje e sempre.

          Muita Paz!

          E. Valentin

          edivaldovalentin59@hotmail.com
            

Um comentário:

  1. Oi Edvaldo, que bela materia. Tudo que vc narrou sao fatos que acompanham nossas vidas. Mas eu achava que ninguem nesse mundo se importava, principalmente um homem, mas foi muito bom saber que ainda existe sim, pessoas boas que reparam nesses detalhes da vida. Essas crianças precisa muito de amor e carinho pra compensar a gde perda, seus pais biologicos. Que Deus te abençoe muito pelo gesto de adoçao!

    ResponderExcluir